Home > Geral > Perguntas frequentes sobre revalidação

Perguntas frequentes sobre revalidação

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS MÉDICOS:

 

1. A revalidação da USP tem ligação com o REVALIDA?

R: A USP não é associada ao REVALIDA, que é oferecida pelo governo e é um processo específico para revalidação de diplomas de medicina, nem ao Portal Carolina Bori, que segue resolução do MEC com algumas diferenças ao processo na USP.

 

2. Quando e como serão as provas?

R: As provas são agendadas diretamente com o interessado pela faculdade, geralmente uns dois ou três meses depois de iniciado o processo. São exigidas provas teóricas e se passar nelas, provas práticas.

 

3. Quanto custa para fazer as provas?

R: Não há taxa para a realização das provas. As únicas taxas são de R$ 2.130,00 para iniciar o processo e R$ 150,00 para registro do diploma, no fim do processo, no caso do pedido ser aceito.

 

4. A prova tem quantas questões? As questões são dissertativas ou de múltipla escolha? Qual a nota mínima exigida? A nota é geral ou por área? Qual a bibliografia da prova?

R: Não temos informações específicas sobre o formato e conteúdo das provas, nem são divulgadas provas anteriores para consulta. Quando as provas forem agendadas na faculdade, estas dúvidas poderão ser sanadas diretamente com eles. Pode haver diferença entre as provas realizadas na Faculdade de Medicina de São Paulo e as realizadas na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

 

5. Quanto tempo tenho para estudar para a prova? Tem curso?

R: As provas serão realizadas nas faculdade no prazo máximo de 60 dias, contados da data da ciência do interessado da manifestação da Comissão de Graduação. Não oferecemos curso preparatório.

 

6. A prova é feita em São Paulo?

R: O processo pode ser encaminhado tanto para a Faculdade de Medicina de São Paulo quanto a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. A decisão cabe à Pró-Reitoria de Graduação. Não há como influenciar esta escolha.

 

7. Em caso de não passar na prova, há complementação? Tem como cursar disciplinas para ser aprovado?

R: Não. A resolução do Conselho de Graduação da USP não estipula a realização de complementação para o processo de revalidação.

 

8. Os candidatos podem realizar uma nova prova caso sejam reprovados?

R: Não. É possível entrar com recurso caso não concorde com a decisão, porém o recurso sendo negado, segundo a resolução do Conselho de Graduação da USP, não serão objeto de novo procedimento de revalidação os diplomas já analisados e considerados não equivalentes aos emitidos pela Universidade.

 

9. É possível fazer a prova da USP se estou inscrito em outra instituição ou no REVALIDA?

R: Para a USP, não há nada que impeça você ter um processo em outra instituição. Porém outros lugares possam ter regulamento que impeça a abertura de mais de um processo ao mesmo tempo.

 

10. Como é feita a análise da carga horária?

R: Na resolução atual que regulamenta a revalidação de diplomas na USP não está estipulada uma porcentagem mínima de carga horária. Os professores comparam a carga horária e conteúdo das disciplinas do curso realizado com o curso oferecido na USP – FM 11.130 horas (Estágio: 2.820 horas) – FMRP 9.585 horas (Estágio: 4.200 horas) – e a carga horária mínima exigida pelo Conselho Nacional de Educação (7.200 horas), e caso acreditem que seu curso é bem diferente do oferecido na USP, seu pedido pode ser negado sem possibilidade de realização de provas.

 

11. Tem como saber se alguém de alguma universidade específica já tentou o processo e teve documentação aceita ou foi aprovado?

R: Não divulgamos nem publicamos estas informações.

 

12. A documentação original que for apresentada ficará retida por algum tempo pela universidade?

R: Nós comparamos os originais com as cópias e ficamos apenas com as cópias, devolvendo os originais no mesmo instante.

 

13. Qual o tempo que devo esperar para uma resposta?

R: Os pedidos de revalidação na USP tem demorado no geral em média um ano para uma resposta, seja positiva ou negativa.

 

14. Caso eu passe nas provas eu terei o CRM?

R: Uma vez revalidado, o diploma terá validade em todo o território nacional, podendo tirar registro no CRM e trabalhar regularmente.

 

15. Quanto tempo demora o registro do diploma, no caso de aprovação?

R: O registro do diploma demora em média 30 dias.

 

16. Tenho como revalidar minha residência? E a minha especialização?

R: Não. A revalidação é apenas para diplomas de graduação, mestrado ou doutorado. Informe-se com o Conselho Regional de Medicina.

 

17. Tem como pedir isenção da taxa?

R: Apenas refugiados residentes em São Paulo com a documentação comprovatória exigida podem ter isenção. Em qualquer outro caso o pagamento das taxas é obrigatório.

 

PERGUNTAS FREQUENTES GERAIS:

 

18. Sou estrangeiro e ainda não possuo o RNE. Posso dar entrada com o protocolo da Cédula de Identidade da Polícia Federal ou Passaporte válido?

R: Sim.

 

19. Posso substituir a cédula de identidade por outro documento?

R: No caso de cidadão brasileiro, pode ser o RG, CNH ou Carteira de Conselho.

 

20. Quais são os valores referentes ao processo de revalidação?

R: R$ 2.130,00 para dar entrada no processo, e R$ 150,00 para registro do diploma no caso do pedido ser aceito. A taxa de abertura do processo não é devolvida em caso de indeferimento.

 

21. Posso levar apenas as cópias autenticadas dos documentos?

R: Sim.

 

22. Existe um prazo determinado para a finalização do processo?

R: Dizemos que o processo tem demorado em média um ano para uma resposta.

 

23. Posso apresentar documentos extraídos da Internet ou recebidos via fax?

R: Para revalidação de graduação, apenas documentos oficiais fornecidos diretamente pela instituição. Para reconhecimento de mestrado e doutorado, informe-se sobre algum documento específico em nosso setor.

 

24. A tradução pública juramentada dos documentos é obrigatória?

R: A tradução juramentada não é obrigatória para iniciar o processo, mas pode ser exigida posteriormente, a não ser que os documentos estejam em inglês ou espanhol.

 

25. O visto consular ou Apostila de Haia é obrigatório para todos os paises?

R: Para todos os países, exceto França que possui acordo específico com o Brasil

 

26. A USP não possui o meu curso reconhecido, o que devo fazer?

R: Se for um curso de graduação, procure uma Universidade Pública que possua um curso na mesma área em que cursou ou equivalente reconhecido pelo MEC. Se for um curso de pós-graduação, procure uma Universidade Pública ou Particular que possua um curso na mesma área ou equivalente reconhecido pela CAPES.

 

27. Posso dar entrada no processo faltando algum documento?

R: Todos os itens são obrigatórios e não é possível dar entrada faltando qualquer um deles.

 

28. Como posso acompanhar o andamento do processo?

R: Pelo site proteos, utilizando um número de processo que será enviado para o e-mail do interessado.

 

29. Como posso saber o conteúdo do parecer?

R: Apenas pessoalmente, quando o processo retornar ao setor de revalidação.

 

30. Como posso saber que o processo foi finalizado e aprovado?

R: O interessado será informado por e-mail.

 

31. Como posso saber que o processo foi desfavorável?

R: Através de ofício encaminhado ao e-mail do interessado.

 

Antonio Carlos Hernandes_Vahan Agopyan_ Pedro Vitoriano de Oliveira_Foto Marcos Santos_U0Y3560

Rua da Reitoria, 374 – 4º andar

Cidade Universitária – São Paulo – SP

CEP 05508 – 220


 

Email: sg@usp.br

Tel: 11 3091-3414

Produzido por USP Mídias Online
© 2011 - USP - Universidade de São Paulo